Alcione Sortica

           Alcione Sortica, Cachoeira do Sul, 17 de dezembro de 1935) é um escritor brasileiro.

        Ativista cultural, é membro e presidente do conselho fiscal da Academia de Artes, Ciências e Letras Castro Alves e vice-governador da Associação Internacional de Poetas para o Rio Grande do Sul.

        Alcione Sortica estudou no Ginásio Roque Gonzales, atual Colégio Marista Roque, onde concluiu a sua formação colegial como contabilista. Depois de mudar-se para a capital Porto Alegre (RS), já como funcionário público da secretaria da Receita Federal - auditor fiscal do Tesouro Nacional - ingressou e concluiu curso de bacharel em ciências contábeis.

        Após a carreira pública, passou exclusivamente a dedicar-se às artes, basicamente à literatura, mas com outros trabalhos na pintura, na música e na cerâmica. Atualmente é um dos escritores mais premiados por seus contos, crônicas, ensaios e poesias, publicados em diversas obras e coletâneas literárias no Brasil e na América Latina. Em 2012 o artista recebeu quatro honrarias: o (1) Troféu Carlos Drummond de Andrade, Destaques do Ano, na categoria literatura; o (2) Troféu Pedro Aleix - Personalidade Notável - pela sua contribuição artística-literária; a (3) Comenda Caldre e Fião da Sociedade Pártenon Literário, por sua contribuição às Letras e à Cultura do Rio Grande do Sul; e eleito (4) Membro de Honra da Divine Académie Française des Arts, Lettres et Culture. Pelo seu trabalho de divulgação e incentivo da literatura como arte, em setembro de 2012 foi convidado e empossado como Governador da Associação Internacional de Poetas para o Rio Grande do Sul. No sistema de rodízio, atua como Vice-Governador da Associação Internacional de Poetas para o Rio Grande do Sul]], juntamente com a poetisa Hilda Maria Brasil (atual Governadora). Em março de 2014 foi empossado como embaixador da Divine Académie Française des Arts, Lettres et Culture, cerimônia ocorrida na sede da instituição no Champs Élysées em Paris. Em 2015 foi empossado como presidente do Conselho Fiscal da |Academia de Artes, Ciências e Letras Castro Alves. Ainda este ano lançou seu 5º livro solo - Um Ponto no Tempo - na 61ª Feira do Livro de Porto Alegre. Em 2016 foi confirmado o lançamento do seu 6º livro solo - Plenilúnio - na 62ª Feira do Livro de Porto Alegre. Além disso, o autor foi classificado para o Prêmio Jabuti de Literatura.

Vida pessoal.

        Alcione Sortica foi premiado pela sua literatura de personagens urbanos e regionais, apresentados principalmente em contos, crônicas e poesias. Por suas contribuições em revistas, jornais, antologias e coleções nacionais e internacionais, seu trabalho ganhou prêmios literários e comendas no Brasil e América Latina. É o segundo filho do comerciante Antônio Osório e Maria Luiza. Ele realizou seus estudos secundários no Colégio Marista Roque, onde completou o curso técnico de contabilidade (1954), como contabilista, tendo sido colega de classe de Adroaldo Streck, jornalista e político (deputado federal constituinte). Durante esse tempo, destacou-se no estudo da língua portuguesa e da literatura brasileira e, como era comum na época, completou seus conhecimentos com o latim, o francês, o inglês e o espanhol. Ainda na época de estudante, foi cofundador da Liga de Estudantes Gonçalvense, organização ativa ainda hoje.

        Em 1963 contraiu matrimônio com a sra. Ivone Almansa, irmã da ex-presidente da Academia Criciumense de Letras, Dra. Iara Almansa Carvalho. Em 1967, mudou-se para Porto Alegre(RS), onde trabalhou como contador na Ernesto Neugebauer, fabricante de chocolate hoje pertencente ao grupo Vonpar. Em 1968, ingressou no Ministério da Fazenda como servidor público federal (auditor fiscal do tesouro federal). Durante duas décadas de serviço público, ele trabalhou na Seção da Secretaria da Receita Federal para o Serviço Federal de Processamento de Dados. Em 1974 graduou-se bacharel em Ciências Contábeis pela conceituada Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), onde foi colega de classe de graduação de Jayme Sirotsky (ex-Presidente do Grupo RBS de Comunicações, afiliada da Rede Globo). Após a aposentadoria em 1990, dedicou-se às artes, primeiramente a música e a pintura.

Origens

        O escritor Alcione Sortica possui pelo lado paterno parentesco da família Sortica, descendência sanguínea direta de David Sortica (seu trisavô) e Anna Buncker (sua trisavó), norte-americanos metodistas, cujo filho Ignácio imigrou para o Brasil no século XIX. A grafia do sobrenome jamais sofreu alteração, desde a vinda do primeiro ascendente ao Brasil, embora exista o topônimo familiar polonês semelhante szortyka, que significa bermudas. No dia 21 de junho de 2014 (solstício de inverno) participou do I Encontro Oficial da Família Sortica. A reunião foi realizada no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), em evento que reuniu mais de 100 descendentes - entre familiares, cônjuges e amigos - de Ignácio Sortica (imigrante norte-americano que chegou ao Brasil em 1835).

Brasão das Armas da Família Sortica (Sortica's Coat of Arms), escolhido por votação entre os membros vivos da família, maio de 2014.

Vida artística e literária.

        Em 2000 a literatura começou a tomar forma com a publicação do poema Raio de Luz. Em visita à Casa do Poeta do Rio-grandense, encontrou-se com a Sra. Santa Inèze Domingues da Rocha Neiva Soares e encaminhou o poema como uma sugestão, publicado na primeira página do Jornal RS Letras. O gosto pela pesca revelou a série beira de açude e histórias de pescador, com os casos do dia-a-dia surgiram as séries a pensão e o condomínio. Das inúmeras viagens nacionais e internacionais, aparecem as narrativas de histórias de viagem, publicados no Jornal Zero Hora e outros periódicos.

        Em 2012, o escritor foi indicado e premiado Personalidade Notável de Literatura, Troféu Pedro Aleixo. O cerimonial ocorreu no dia 10 de março de 2012 na cidade mineira de Itabira (terra natal de Carlos Drummond de Andrade). As honras recebidas enalteceram artistas e outros profissionais com destaque na cena brasileira pelo conjunto da obra literária (Troféu Pedro Aleixo), contribuições culturais (Troféu Cecília Meirelles), sociais e científicas (Troféu Carlos Chagas). Após palestra pública na sua cidade natal, quando da participação da Feira do Livro de Cachoeira do Sul em junho de 2012, o escritor concedeu uma entrevista para o Jornal do Povo, Três perguntas para Alcione Sortica. Em 4 de agosto de 2012, recebeu - na cidade de Itabira (MG) - o troféu Carlos Drummond de Andrade 2012. Essa distinção é um justo reconhecimento pela sua contribuição literária, expressa através de poesias, crônicas e histórias curtas; trabalhos publicados nos seus livros solo, no jornal RS Letras, na Revista SC, no Caderno de Viagens de Zero Hora e, como convidado, em diversas publicações nacionais e na América Latina.

        A Revista CAOSótica Nr 31 (abril de 2013) traz na capa e uma reportagem sobre a obra do escritor, com críticas literárias, ensaios, contos, crônicas e uma apresentação do lançamento do livro Beira de Açude. O escritor abre a publicação do "Livro II das Aldravias" (edição bilíngue em português e em espanhol)  e soma-se a outros 50 artistas na compilação desse trabalho.

        Em 2014, o escritor Alcione Sortica participou como co-autor e na abertura do livro da Antologia Brasil em Cena (Brésil en Scene, edição bilíngue em português e em francês), oficialmente lançado no Salão do Livro de Paris de 2014. O evento programado para março de 2014 (dias 21 a 24), terá a solenidade de lançamento da antologia, organizada por Diva Pavesi e prefácio de Luiz de Miranda(escritor) e Martinho da Vila(músico e compositor). Em outubro de 2014 participou do XXII Congresso Brasileiro de Poesia, como vice-governador do Rio Grande do Sul na associação dos Poetas Del Mundo, prestigiando a colega escritora e poeta Delasnieve Daspet, embaixadora do Brasil nesta mesma associação. Em novembro de 2014 lançou o livro De pai para filho, obra concorrente ao Prêmio Jabuti foi escrita em coautoria com seu filho primogênito, evento realizado durante a Feira do Livro de Porto Alegre (que completou 60 anos de Feira evento).

        Em 2015 foi convidado para a apresentação do livro Estudo de Valor e Formação de Preços, do professor Luiz Alberto Cibilis, em Porto Alegre, no mês de agosto. Como participante cativo da Feira do Livro, em novembro lança o livro Um ponto no tempo, da qual Consolidou sua participação com a presença no 1º Congresso Estadual das Academias de Letras do RS, organizado pela Academia Rio-Grandense de Letras, em 14 de novembro. Em dezembro participa como prefacista e coautor da coletânea Elos Literários, em homenagem ao escritor e amigo João Justiniano da Fonseca (falecido um mês depois em janeiro de 2016) com lançamento realizado em Salvador.

        Em 2016, pelo terceiro ano consecutivo, o escritor consegue classificar um livro seu para concorrer ao Prêmio Jabuti de Literatura, principal comenda no Brasil para autores da língua portuguesa, restrito a trabalhos inéditos e publicados no ano anterior. No caso, a obra classificada desta vez foi Um Ponto no Tempo. Nesse ano, foi publicado e lançado o livro Plenilúnio em 5 de novembro na LXII Feira do Livro de Porto Alegre.

        Em 2017, mais uma vez e pelo quarto ano seguido, o artista classificou seu livro Plenilúnio ao Prêmio Jabuti de Literatura, mais importante concurso literário lusófono brasileiro. Ainda no segundo semestre está confirmado o relançamento do livro "Cacos do Tempo", primeira obra solo do autor.

        Afora a constante participação em coletâneas, antologias, ensaios, compilações, textos para periódicos (como críticas e resenhas literárias para jornais, revistas e diários), os quais contabilizados ultrapassam a soma de 250 publicações; seus livros solo congregam a seguinte obra principal:

Fonte: Wikipédia

Contato

Leandro Campos Alves Caxambu MG / Liberdade MG. leandrocalves@hotmail.com