Desilusão.

 

Dói...

Dói ser o porto seguro,

Mas não encontrar o nosso porto.

 

Dói...

Dói ver obstáculos indo ao chão,

Mas em vão.

Pois a vitória que seria coletiva,

É apenas mais um fato, ou ato.

 

Dói...

Dói tentar ser alguém,

E no fim descobrir que não somos ninguém.

 

Dói...

Dói superar as diversidades,

Superar as mazelas da vida,

E descobrir a realidade...

Superar obstáculos não representa nada.

 

Dói...

Dói buscar afeto e suplicar carinho,

E descobrir que suplicas não é sentimento.

E sentimento é algo egoísta, único, isolado.

Isolado ao bem querer das pessoas que amamos.

 

Dói...

Dói apoiar a vida e aos necessitados,

E descobrir que necessitamos apenas de migalhas.

Apenas de um pouco de amor.

 

Dói...

Dói ser o porto seguro e descobrir que...

Este porto novamente nos falta,

E na hora certa nos deixa náufragos,

No mar de sentimentos e pensamentos,

Neste oceano de incertezas.

 

A vida dói...

A réplica de nossos sentimentos nos traz a dor.

A dor é a certeza que somos seres humanos e choramos.

Mas mesmo com as indiferenças e rejeições amamos.

 

A vida apenas dói...

 

 

Leandro Campos Alves.

2015.

 

 
Número de páginas: 101 

Edição: 1(2016) 

Formato: Pocket 105x148 

Coloração: Preto e branco 

Acabamento: Brochura s/ orelha 

Tipo de papel: Offset 75g

 

 

 

 

 

 

 

 

www.clubedeautores.com.br/book/206358--Sonhos?topic=mensagens#.VwWSpPkrLIU

 

 Todos direitos estão reservados a autor  conforme artigo (Lei 9610/98).

 

Contato

Escritor Leandro Campos Alves https://www.clubedeautores.com.br/authors/75816

https://www.facebook.com/escritorleandroalves/

http://busca.saraiva.com.br/q/leandro-campos-alves

https://plus.google.com/u/0/+EscritorLeandroCamposAlves