Luisa Brás Pacheco

Poemas


Poemas são mais que palavras
Rimas, versos ou quadras cantadas
Poesia é livre, mesmo acorrentada
Tece teias nas inquietas madrugadas
Embala sonhos quando acordada

No sol que desponta no horizonte
Na água que brota da fonte
No cheiro a terra molhada
No vento que sopra no monte
E nas melodias da passarada.

Na noite mais escura e tenebrosa
Na mente mais inquieta e nublosa
Na desesperança e na melancolia
Na personalidade mais orgulhosa
Vive de alguma forma a poesia.

Procuro as palavras que não sei
Ocultas da poetisa que não serei
Deixando poemas por escrever
Pintados em telas que imaginei
Mas não soube como resolver.

 

Poemas

Autora:Luísa Pacheco

 

 

Serra do Açor


Faltam-me as palavras
Que queria escrever
Envoltas nas mágoas
Que ainda estão a arder

Neste silêncio sepulcral
Há gritos de dor e solidão
Como se lamina de punhal
Lhe trespassa-se o coração

Mudam-se os tempos 
Conforme as vontades
Só não mudam os ventos
Que sopram incontrolados.

E ao sabor desse vento
A serra vai renascer
No seu ritmo indiferente
Se há ou não gente a ver

Vai vestir fato de festa 
Com renovadas cores
É a esperança que nos resta
Ver desabrochar novas flores.

 

Poema: Serra do Açor

Autora: Luísa Pacheco 

 

 

"Simplesmente" 

 

Simplicidade é alimentar a magia,
não se permitir fechar o coração,
nos pequenos nadas sentir alegria,
ao ler um verso ouvir uma canção …

Viver em plenitude e verdade,
sem moralismos nem grandeza,
não alimentar o ego e a vaidade,
viver em comunhão com a Natureza.

Não discriminar nem privilegiar,
a todos tratar com devido respeito,
nunca sobre as aparências ajuizar,
comentar ou fomentar o preconceito.

O Mundo é um lugar fascinante
imensa diversidade e crença
onde se trava uma luta constante
todos a querer marcar a diferença.

 

Poema: Simplesmente

Autora: Luísa Pacheco

 

Todos os direitos são reservados a autor, conforme artigo (lei 9.610/98)

 

 

Contato

Leandro Campos Alves Caxambu MG / Liberdade MG. leandrocalves@hotmail.com