Maria Iraci Leal – MIL

Poeta e Escritora. 

Licenciatura Plena em Educação Artística. 

Massoaterapeuta.

de Tramandaí

 

Chorei sim, mas nunca desisti...

 

Chorei, sim, chorei muito, demais,
hoje sei que nada tinha de especial
aquela fase de vida! Mas foi necessário
conhecer das ilusões o abecedário...

 

Na escalada dos dias a palavra fria,
quanta ingenuidade a minha,
não perceber os espectros da noite,
a insensatez dos açoites,
a morte sutil do sol e da lua!

 

Chorei o impensável,
o crime contra a castidade,
e nem era meu o pecado!

 

Entreguei a alma quebrei a cara,
amarguei flechas lançadas,
mas a alma minha sempre dizia,
cedo ou tarde haverá alforria!

 

E o tempo nosso melhor amigo,
que não deixa pedra sobre pedra,
faz por onde o que é preciso,
cedo ou tarde tudo nos revela!

 

Chorei, sim, mas nunca desisti,
afinal é preciso passar pelo inferno
para galgar o caminho do céu!

 

Algumas rosas amassadas,
alguns canteiros arruinados,
mas a vida sempre floresce
em quem carrega a primavera!

 

Autora: Maria Iraci Leal/MIL
POA/RS/Brasil
14/09/2015
Obra protegida

 

 

Se no silêncio...

 

Se depois de tudo
mergulharmos no silêncio,
perdendo a aurora, a luz,
por certo não será nefasto,
será apenas um tempo
de recolher os cacos,
colar os pedaços
até encontrar a paz.
que anula
dores e ansiedades...
E o futuro?
Seja o que nos reserve,
ao vento teremos lançado
o gosto da amargura,
sabor ácido retido na alma!
Venham as novas madrugadas,
o redescobrir das estrelas,
o cheiro da relva molhada
incensando a lua negra!
Despertando
o sol adormecido,
libertando
a aura do sorriso!

 

Se depois de tudo,
mergulharmos no silêncio,
por certo não será nefasto,
apenas um tempo
para juntar os cacos.
Sair do abismo,
recuperar a alma!

 

Autora: Maria Iraci Leal/MIL
POA/RS/Brasil
12/09/2014
Obra protegida
<><><>

 

 

A lua e o poeta...


Quando a musa surge
lá no alto, lá em cima,
derrama-se toda cheia,
inunda ruas e esquinas,
na janela o poeta
enfeitiçado faz rimas,
lhe dá as boas vindas...
Canta-lhe louvores e toadas,
escreve belas poesias,
versos encantados,
palavras inspiradas de lua,
que brilham como a rainha,
tão radiosa e alva!
Quando no céu surge
a lua cheia e, do alto
joga seus beijos lunares,
poetas e amantes,
de inspiração e desejos
incendeiam-se,
ardores chegam ao extremo,
amantes fazem amor,
poetas fazem poemas!

 

Autora: Maria Iraci Leal/MIL
20/05/2014
Obra protegida
<><>

 

UM INSTANTE AZUL...

Vago num instante azul
de paz infinita!
È um momento pueril,
onde a verdade e o sentido
não foram esquecidos,
e nenhuma sombra ofusca!
Será o paraíso
que todo homem busca?

 

Vago entre nuvens azuis
que seguem tranquilamente,
sopradas pelo vento menino
que libera amorosamente
a infância adormecida,
liberta o sentimento puro,
anula o dia a dia inútil!

 

Azul que acalma as ânsias,
navegando vou pelo céu,
saindo deste sal da Terra
que salpica de angústias.
Esvoaçante como pluma,
carregada pelo vento menino,
no seu terno afago de brisa!

 

Ter um pedaço de paraíso
bem longe dos conflitos,
das dores e males do mundo,
de tudo que é confuso!
Sem o ‘Minuano’ que arrasa
e destrói por onde passa.
Ter um instante de brisa!

 

Autora: Maria Iraci Leal/MIL
POA/RS/Brasil
25/04/2015
Obra protegida

 

 

Fonte: Belas Artes Belas.

belasartesbelas.ning.com/members/MariaIraciLeal

 

Todos os direitos são reservados a autora Maria Iraci Leal, conforme lei (9.610/98).
Biografia de Maria Iraci Leal
 

 

Contato

Leandro Campos Alves Caxambu MG / Liberdade MG. leandrocalves@hotmail.com