Metáforas da Vida.

       Publicação, dia 18 de Fevereiro de 2015.

 

 

        Este livro traz em seu contexto a metáfora da vida real.

        Em minha adolescência ouvi de um professor a afirmação que eu deveria morar entre os Índios, pois lá era o lugar de pessoas que não sabiam falar e nem escrever direito.

        O tempo passou, e Deus me mostrou um caminho muito além daquele que eu poderia imaginar para mim, o caminho da literatura.

        Ironicamente o único caminho que aos olhos de muitos, eu não poderia nunca trilhar pelo motivo óbvio de minhas limitações. Mas quais limitações?

        Hoje homem feito e pai de família, descobri o prazer da escrita e dos sonhos que nossa imaginação pode nos levar, derrubando ao chão todos possíveis obstáculos de minha vida.

        Contrapondo-se à profecia de meu professor, estou lançando meu terceiro trabalho, que traz meus textos, “crônicas e poemas”, mostrando a verdadeira metáfora da vida.

        Aproveito a oportunidade para agradecer a todos meus amigos, aos meus companheiros acadêmicos, literários e imortais da ABL, pelo carinho e respeito que sempre depositaram em meus trabalhos.

        A dislexia nunca me fez diferente, apenas me mostrou um jeito especial para viver a minha vida.

Que Deus esteja com todos.

 

 

Número de páginas: 103 

Edição: 1(2015) 

Formato: A5 148x210 

Coloração: Preto e branco 

Acabamento: Brochura c/ orelha 

Tipo de papel: Offset 90g

Vendas pelo Clube de Autores:clubedeautores.com.br/book/181600--Metaforas_da_Vida#.VOTL-ebF_HI

 

 

 

Diagramação e Capa:
Leandro Campos Alves
 
 
 
Revisão:
Rosilene Alessandra de Souza Alves.
 
 
Todos os direitos são reservados. Publicado de acordo com original registrado e averbado na biblioteca nacional.
Proibida a reprodução total ou parcial desta obra, de qualquer forma ou por qualquer meio eletrônico, mecânico, inclusive por meio de processos xerográficos, sem permissão expressa do autor (Lei número 9.610, de 19.02.98).
 
 
 
Metáforas da vida.
 
 
 
Reflexão:
 
 
        Um dia, nós nascemos para o mundo e nunca imaginamos os caminhos que Deus preparou para as nossas vidas.
        Em caminhos tortuosos e batalhas para sobrevivência, crescemos alimentando sonhos e pensamentos, então nós traçamos o nosso possível Destino.
        Mas que Destino é este?
        Destino traçados em pensamentos, porém antes mesmo de nascermos já se torna contraditório sua existência, pois nos é dado por Deus o nosso livro da vida, que traz nele o nosso caminho, a nossa índole, enfim, a nossa própria vida na Terra.
        Podemo-nos fazer nossas escolhas para andar sobre estas ordens divinas, mas com certeza, nós a cumpriremos a risca, mesmo que seja através do amor ou da dor.
        Algumas pessoas acreditam em destino, outros na força do pensamento, e existem aqueles que acreditam no fruto do trabalho. Eu resumo todas estas forças em minha vida apenas em um nome.
Deus.
        A Ele agradeço o meu caminho e ofereço mais este trabalho.
        São os meus sonhos, meus pensamentos, “o tudo e o nada”, mas com certeza o trabalho da minha vida que surge novamente para humanidade.
        Agradeço também a todos os meus amigos e familiares.
        Em especial a minha parceira de caminhada que está sempre ao meu lado, revisando meus textos e minhas obras.
Que Deus esteja com todos.
 
 
 
        Obstáculos se tornam pedregulhos em nossas vidas, quanto acreditamos no amanhã e regamos nossa esperança com a força da fé, e o apoio de Deus.
 
 
 
Torre de Babel.
 
O vento é o nosso polinizador de vidas,
o responsável por levar a vida,
dar a vida,
conduzir a vida.
 
E com o seu veludo e delicado aconchego,
ele leva sementes e pedalas aos quatro cantos do mundo.
 
E hoje como vento,
lembro-me dos desbravadores do velho continente.
que em mar revolto,
deixo em seu rastro suas sementes, origens e culturas.
 
E foram transmissores da herança da torre de Babel,
que por onde passaram,
deixaram sua língua mãe.
 
Como ato de homenagem a nossa origem,
faço o mesmo caminho,
mas tendo como caravelas, as letras, versos e poemas.
 
E por elas eu agradeço,
e deixo o meu sincero apresso,
ao velho continente,
e a nação portuguesa,
que deu vida a nossa gente,
e fez nascer este nosso continente.
 
Meu muito obrigado,
por nos deixar como legado.
A cultura de sua gente.
 
 
As Mãos que Afagam.
São minhas aquelas mãos.
As mãos que afagam o seu sono,
que segura e protege seu tombo.
 
São minhas aquelas mãos.
As mãos que apoiam seu caminho,
que acalenta seu coração,
que te dá o porto seguro,
mostrando qual é a sua direção.
 
Filho pequeno ou grande,
são minhas aquelas mãos.
Que te acolhe por onde você ande,
e se fecha em oração,
pedindo pra ti proteção.
 
São minhas aquelas mãos.
As mãos que lhe dá o pão,
são as mesmas que lhe dá correção.
Deixa-nos também na tristeza profunda,
por corrigir a nossa criação.
 
São minhas aquelas mãos.
Que a noite te abençoa,
no gesto de devoção;
pedindo a Deus criador,
sua vigília....
 

Vendas:

 

www.clubedeautores.com.br/book/181600--Metaforas_da_Vida?topic=parodias#.WHqKE1MrLIU

 

 

                     Todos os direitos são reservados ao autor, conforme artigo ( lei 9.610/98).


 
 
 
 
 
 
 

Contato

Escritor Leandro Campos Alves https://www.clubedeautores.com.br/authors/75816

https://www.facebook.com/escritorleandroalves/

http://busca.saraiva.com.br/q/leandro-campos-alves

https://plus.google.com/u/0/+EscritorLeandroCamposAlves