Nomes de Bebês.

Crônica Nomes para Bebês.

 

        A vida é muito engraçada mesmo.

        Quando nascemos, nossos pais procuram o melhor nome para nos dar, esta é a primeira marca que ganhamos no mundo.

        Cada região tem a sua influência, cada país seus nomes prediletos, algumas pessoas recebem o nome de alguma personalidade querida de seus pais.

        Homenagens, herança genética, ou simplesmente, um nome que aumenta a personalidade da criança.

        Em especial no nosso país, um país extremamente religioso desde a sua descoberta em 1500 pelos nossos patrícios Portugueses, os primeiros filhos da nova terra, começaram a ser batizados pelos jesuítas, e seus nomes seguindo o costume de Portugal, pelo qual, se escolhia nomes de personagens bíblicos.

        Uma forma de fé e benção, assim surgia os nomes dos primeiros brasileiros da nova terra lusitana, a terra de Vera Cruz.

        Os anos passaram, o tempo mudou, mas os costumes continuam forte nas raízes de nosso país religiosos.

        Isso tudo digo pelo fato que veio acontecer um dia comigo.

        Este fato me pôs a meditar sobre o tema.

        Nomes...

        João, Pedro, Antônio, Joaquim, Maria, entre tantos outros nomes bíblicos.

        Nesta ocasião, eu estava procurando um amigo para entregar um documento, era início da semana.  Fui a sua casa e avisaram-me que ele estava no         Banco para pagar algumas contas.  Não perdi tempo e fui atrás dele no banco, lá chegando vi que não seria fácil encontrá-lo, pois a agência bancária estava cheia, logo que passei pela porta giratória, encontrei imensas filas. Normal em nosso país, pois em tudo temos que perder algum tempo, até mesmo para pagar contas.

        Na fila que levava-nos ao caixa, estava enorme também, entorno de no mínimo trinta pessoas. Pensei!...Para que procurar se eu podia apenas chamá-lo pelo nome?

        Em voz alta e educadamente chamei-o pelo seu nome.

        __ “João.”

        Minha surpresa foi muito grande ao ver que a metade da fila respondeu o meu chamado.

        Isso porque eu estava procurando apenas um João, pareceram quase quinze pessoas com o mesmo nome, sem contar aquele que tinha em seu sobrenome o João presente.

        Algumas pessoas até mesmo esquecem que tem este nome completando a sua personalidade.

        Para quebrar a vergonha que passei, sorri, e falei que eu estava mesmo procurando um José.

        Piorou, tinham várias pessoas na agência com este nome, até mesmo vários funcionários.

        Bem, minha curiosidade apareceu na hora, então conversando com o guarda da agência, brinquei que nem ia me arriscar em chamar por algum Antônio ou Pedro.

        Neste momento muitas pessoas no banco já estavam observando a minha curiosidade, e um engraçadinho logo foi gozando de minhas gafes, e falou...

        __ E aí?

        __Você conhece todos os homens da agência? Rsrsrs. 

        __Será que você não tem nenhuma amiga aqui, pois nenhuma mulher respondeu suas chamadas. Rsrs...

        Logo ele foi saindo da agência morrendo de rir, e eu, envergonhado.

        Então pedi para ele esperar um pouco, que iria mostrar que conhecia muitas mulheres ali dentro, e algumas bem íntimas.

        Então logo chamei.

        __Maria querida, a Aparecida está aqui e quer falar contigo.

        Dois santos nomes femininos, quase todas olharam, inclusive a irmã e a esposa do sacana brincalhão.

        Nomes fortes, santos, pessoais, nossa marca no mundo.

        A fé está presente a cada detalhe, mesmo que nunca nos perguntamos o porquê recebemos tal dádiva.

        Caso verídico que um dia aconteceu comigo...

        Assim se faz a nossa sociedade.

Leandro Campos Alves.

 

Todos direitos estão reservados a autor  conforme artigo (Lei 9610/98).

 

Contato

Leandro Campos Alves Caxambu MG / Liberdade MG. leandrocalves@hotmail.com